A ilha


Até onde vai a insensatez do homem?

“A Ilha”, do moçambicano João Gomes de Abreu, e Yara Kono, publicado pela Editora Sesi-SP, leva-nos a refletir sobre o egoísmo humano, a insensatez e a ideia de que o nosso planeta é inesgotável.


A obra gira em torno da construção de uma ponte, nascida do desejo dos habitantes da ilha de serem continentais. Como o desejo era tão grande, os ilhéus decidiram falar com o ministro, o qual, sem reflexão, e vendo nessa obra possibilidade de aparecer como o ministro que fez dos ilhéus continentais, não pensou duas vezes e deu início à grande empreitada. Prometeu ainda que a inauguração da ponte seria com uma grande queima de fogos.


O continente ficava longe da ilha e o mar tinha grandes tempestades. A futura ponte teria que ser forte. Sem achar problemas nisso, recorreram à montanha. Afinal, ela era "suficientemente grande para construir uma ponte tão longa, só sua pedra era suficientemente sólida para construir uma ponte tão forte".


Mas os recursos acabaram e adeus montanha, pedra, árvores, florestas, areia da praia. Adeus ilha.

Mas os fogos brilharam no céu.


Esse livro permite ricas conversas sobre esses assuntos comuns em nossos dias. Excelente obra para você, seus filhos ou seus alunos.

Recomendo!

Beijos!

Regiane


Contato

Inscreva-se no nosso canal no youtube

foto Regiane blog.jpg

Mãe, professora, autora de materiais didáticos, doutoranda em Literatura e Crítica literária pela PUC-SP. 

Idealizadora do Veredas do Texto e criadora de conteúdo 

Regiane Boainain 

  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

veredasdotexto@gmail.com

Tel e whatsapp

(11) 97683 4664